Esclerose Lateral Amiotrófica – ELA, Sintomas Iniciais, Tipos, Fotos

A Esclerose lateral amiotrófica – chamada também de ELA – é uma doença degenerativa do sistema nervoso. Trata-se de uma das mais temidas enfermidades conhecidas. A doença afeta 5 a cada 100 mil pessoas no mundo.

O que é Esclerose lateral amiotrófica

A ELA se trata de uma doença grave degenerativa do sistema nervoso central. Seu principal sintoma é a paralisia progressiva motora e muscular. Essa paralisia é limitante e irreversível.

Sintomas de Esclerose lateral amiotrófica

Evolução da doença

A Esclerose Lateral Amiotrófica  é uma doença progressiva. Conforme a doença progride vai causando ao paciente a perda de diversas habilidades, sendo, geralmente, a primeira delas a locomoção. Em seguida, o doente vai perdendo a capacidade de fala e deglutição. O prognóstico mais comum da doença é o óbito – pois a progressão da doença inclui a incapacidade respiratória ao afetar os músculos relacionados a respiração.

Com um tratamento adequado a evolução da doença se torna mais lenta e pode até “estacionar” – embora não exista cura.


Em determinado estágio do problema, o paciente costuma ter de ser acompanhado por outra pessoa, em razão da perda de diversas capacidades para realizar tarefas do dia a dia. A Esclerose Lateral Amiotrófica  não afeta as habilidades intelectuais do paciente. Assim, o portador da Esclerose Lateral Amiotrófica  sabe de tudo o que está acontecendo com ele. Isso costuma causar extremo sofrimento emocional.

A doença causa os desgastes ou a morte dos neurônios, que passam a não conseguir mais enviar mensagens aos músculos. Com isso acontece o esgotamento dos músculos, acompanhado de contrações involuntárias e a incapacidade do portador em realizar a movimentação das pernas, braços e do corpo em geral.Cérebro com neurônios afetados pela doença Esclerose Lateral Amiotrófica

A Esclerose Lateral Amiotrófica piora aos poucos. Até que os músculos do tórax param de funcionar, ficando muito difícil até mesmo respirar por conta própria.

Causas

Não se conhece a causa específica para alguém desenvolver a doença. Sabe-se apenas que  Esclerose Lateral Amiotrófica  é causada por um defeito genético em aproximadamente 10% dos casos da doença.

Outras causas que possam estar relacionadas ao aparecimento da Esclerose Lateral Amiotrófica são:

  • Desequilíbrio químico: os portadores de ELA, normalmente, apresentam níveis de glutamato mais elevados que as pessoas sem a doença. Tal substância tem como função ser um mensageiro químico cerebral, ficando localizado ao redor das células nervosas. Sua presença em excesso costuma ser tóxica para as células nervosas.
  • Mutação genética: mutações genéticas poderiam levar a pessoa a desenvolver a Esclerose Lateral Amiotrófica.
  • Doença autoimune: sabe-se que o sistema imunológico dos portadores de ELA costuma atacar algumas células saudáveis do organismo. Esse é um dos fatores que também poderiam levar a morte dos neurônios.
  • Mau uso de proteínas: proteínas seriam extraviadas do interior das células nervosas, levando a um acúmulo progressivo de formas anormais dessas substâncias nas células. Isso faria com que as células saudáveis morressem.

Diagnóstico

Geralmente, um exame físico já permite ao médico diagnosticar a presença da Esclerose Lateral Amiotrófica. Isso porque a doença costuma causar espasmos, tremores e contrações involuntárias dos músculos. Também existe a perda do tecido muscular (atrofia), com contrações involuntárias da língua.

O portador de ELA também passa a apresentar um andar desajeitado e rígido. Os reflexos passam a ser anormais e pode haver a perda do reflexo faríngeo. Alguns dos portadores da Esclerose Lateral Amiotrófica apresentam crises de choro ou de riso. Tal sintoma é conhecido como incontinência emocional.

Testes também são úteis para confirmar o diagnóstico da Esclerose Lateral Amiotrófica. Entre eles estão:

  • Exames de sangue com o objetivo de destacar outras doenças
  • Eletromiografia para a averiguação do funcionamento adequado dos nervos
  • Testes respiratórios para averiguar a função dos músculos do pulmão
  • Tomografia computadorizada ou ressonância magnética da coluna cervical para verificar se não existe alguma lesão ou doença que possa se confundir com a ELA
  • Tomografia computadorizada ou ressonância magnética do crânio para excluir outras doenças que possam se confundir com a Esclerose Lateral Amiotrófica
  • Punção lombar
  • Testes para verificar a capacidade de deglutição
  • Punção lombar
  • Investigação de condução nervosa
  • Testes genéticos, caso existam casos de ELA na família

Tratamento de Esclerose lateral amiotrófica

Medicamentos

As medicações comumente empregadas no tratamento da Esclerose Lateral Amiotrófica são o Baclofeno e o Baclofen.

Complicações possíveis

A Esclerose Lateral Amiotrófica leva a diversas complicações, que interferem na saúde e na realização de tarefas cotidianas do portador da doença. Entre as complicações possíveis estão:

  • Aspiração de líquidos e de alimentos
  • Escaras (úlceras)
  • Pneumonia
  • Perda de peso acentuada
  • Insuficiência pulmonar
  • Incapacidade de cuidar de si mesmo

Convivendo (prognóstico)

Normalmente os portadores de Esclerose Lateral Amiotrófica necessitam de acompanhamento psicológico – já que a doença preserva as capacidades intelectuais do doente. A família também pode se beneficiar da ajuda psicológica.

O paciente também deve seguir adequadamente as indicações médicas e o tratamento proposto, para que os sintomas progridam de forma mais lenta e para que o paciente tenha um pouco mais de qualidade de vida.

Imagem explicando como é a doença Esclerose Lateral Amiotrófica

Famosos com Esclerose lateral amiotrófica

Confira algumas personalidades famosas que tiveram Esclerose lateral amiotrófica:

  • David Niven – ator
  • Charles Mingus – compositor e pianista
  • Dmitri Shostakovitch – compositor
  • Dieter Dengler – piloto de aviões militares
  • Ezzard Charles – boxeador
  • Don Revie – jogador de futebol
  • Jacob Javits – procurador-geral e senador
  • Jason Becker- guitarrista neoclássico
  • Fokko du Cloux – matemático e cientista
  • José Afonso – cantor e compositor
  • Jon Stone – escritor e produtor
  • Lane Smith – atorStephen Hawking com Esclerose Lateral Amiotrófica
  • Leadbelly – músico
  • Krzysztof Nowak – jogador de futebol
  • Mike Porcaro – baixista
  • Lou Gehrig – jogador de baseball
  • Ricardo Piglia – escritor
  • Morrie Schwartz – sociólogo
  • Stephen Hawking – cosmólogo, físico e matemático
  • Stanley Sadie – crítico de música e editor
  • Washington César Santos – jogador de futebol

Perguntas dos leitores

Esclerose lateral amiotrófica tem cura?

Não, essa doença não tem cura. O que pode ser feito é um tratamento médico para que a evolução da doença seja mais lenta, contribuindo com uma melhor qualidade de vida do paciente e para evitar as complicações que a doença traz.

Quais os sintomas iniciais da Esclerose lateral amiotrófica?

Os sintomas iniciais da Esclerose lateral amiotrófica costuma ser dificuldade de locomoção e problemas na fala e na deglutição de alimentos e líquidos

Fisioterapia ajuda contra a Esclerose lateral amiotrófica?

A fisioterapia pode ajudar nas funções musculares dos portadores da Esclerose lateral amiotrófica, mas não existe comprovação que impeça a evolução da doença.